Unafisco - Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil
São Paulo, 17 de agosto de 2019 Hora Certa 06h29

ÁREA RESTRITAÁREA RESTRITA

esqueci minha senha

Notícias Principais

Tamanho da Fonte    -A   A   +A
  • Compartilhe

  • Imprimir

04/02/2019 19:06:00

Governo restabelece cargos da Corregedoria e órgãos centrais mas mantém corte geral na Receita Federal



Em 2/1/2019, o governo recém-empossado editou o Decreto 9.679/2019 estabelecendo cortes de 1.014 cargos na Receita Federal, o que atingiu, de forma preocupante, a Corregedoria da Receita Federal.

O anunciado corte e os aventados planos de novas reduções foram objeto de uma nota do órgão correcional, alertando que a medida poderia representar ênfase menor no combate à corrupção, ativa e passiva, no âmbito do fisco federal.

A Unafisco Nacional divulgou nota em 18/1/2019, reafirmando a defesa da existência “de uma corregedoria firme e republicana, que atue com respeito à ampla defesa e ao contraditório.”

A manifestação da Corregedoria e a nota da Unafisco tiveram grande repercussão na mídia.

Em 29/1/2019, os diretores da Unafisco Nacional, Auditores Fiscais Mauro José Silva (Defesa Profissional e Assuntos Técnicos) e Luiz Gonçalves Bomtempo (primeiro secretário), se reuniram, em Brasília, com o corregedor da Receita Federal, José Pereira de Barros Neto, para reforçar a posição da entidade de que uma corregedoria conduzida por Auditores Fiscais é uma conquista da categoria e da sociedade, o que deve ser valorizado.

O desfecho mais recente do episódio ocorreu em 30/1/2019 com a edição do Decreto 9.695/2019 que restabeleceu os cargos da Corregedoria e dos órgãos centrais da Receita Federal, mas manteve o corte geral de cargos da Receita Federal.

O corte, agora revisado, é recebido com alívio no tocante à Corregedoria, permitindo que o órgão correcional tenha recursos para que continue atuando firmemente, com urbanidade e impessoalidade, no combate a corrupção — de corruptos e corruptores —, respeitando a ampla defesa e o contraditório, e com a conclusão dos processos disciplinares em prazo adequado.

No entanto, a manutenção dos cortes em relação à Receita Federal revela que o conteúdo do art. 37, inciso XII da CF continua não sendo observado, uma vez que o dispositivo determina que as atividades relacionadas às administrações tributárias são “(...) atividades essenciais ao funcionamento do Estado, exercidas por servidores de carreiras específicas, terão recursos prioritários para a realização de suas atividades (...).” Portanto, todas as áreas da Receita Federal não deveriam ter sido incluídas na supressão de recursos.

Ainda que não possamos avaliar o impacto direto do corte de cargos, é possível avaliar que os recursos “poupados” com o corte poderiam ter sido realocados dentro da Receita Federal para atividades que teriam impacto direto na arrecadação e no combate à sonegação. Mensalmente, os cortes anunciados representam somente cerca de 500 mil reais que poderiam ser investidos, por exemplo, na contratação de 25 novos Auditores Fiscais. 

Tal efetivo poderia combater a sonegação, gerando lançamentos anuais de mais de 2 bilhões, considerando que cada Auditor Fiscal lança, em média, 86 milhões de reais. Visto por outro ângulo, poder-se-ia imaginar que a arrecadação efetiva seria aumentada em 720 milhões de reais por ano, considerando que cada real investido na administração tributária gera 120 reais de efetiva arrecadação.

A falta de racionalidade e a inconstitucionalidade desse corte de recursos na Receita Federal — já num dos primeiros momentos de um novo governo — revela que temos que continuar estudando os meios disponíveis para garantir que o dispositivo constitucional que garante recursos prioritários para a administração tributária seja respeitado.

Manter o elemento P

Ver todas as notícias


ASSOCIE-SE À UNAFISCO NACIONAL
[X]

Valor da mensalidade da Unafisco
Para ativos e aposentados: R$ 95,56.
Para pensionistas: R$ 71,67.

Por gentileza, antes de continuar, responda à questão abaixo:

ALGUM ASSOCIADO O INDICOU PARA SE FILIAR À UNAFISCO?


SIM

NÃO

ASSOCIE-SE À UNAFISCO NACIONAL
[X]