Unafisco - Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil
São Paulo, 17 de agosto de 2019 Hora Certa 05h56

ÁREA RESTRITAÁREA RESTRITA

esqueci minha senha

Notícias Principais

Tamanho da Fonte    -A   A   +A
  • Compartilhe

  • Imprimir

07/02/2019 10:00:00

Unafisco na Mídia: Temer e Meirelles são alvos de denúncias por improbidade



Título: Temer e Meirelles são alvos de denúncias por impobridade
Publicação: Valor Econômico
Autor: Fábio Pupo
Data: 6/2/2019

 

Atualizada às 22h14 com inclusão de resposta do ex-ministro Henrique Meirelles - A Associação Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil (Unafisco Nacional) protocolou no Ministério Público Federal (MPF) e na Controladoria-Geral da União (CGU) representações por improbidade administrativa contra o ex-presidente Michel Temer e o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles. Segundo a entidade, ambos teriam agido com negligência ao criar um novo programa de parcelamento de dívidas (Refis) contrariando pareceres da Receita Federal que avaliavam os novos parcelamentos como prejudiciais para a arrecadação tributária.

"Ao descumprirem a orientação da área técnica e instituírem o Refis por meio de medida provisória, [Temer e Meirelles] incorreram em conduta negligente com a arrecadação de tributos", afirma a entidade.

Em maio de 2017, o governo publicou a medida provisória 783, que instituiu o Programa Especial de Regularização Tributária (Pert). A medida foi assinada por Temer e Meirelles. Os auditores tinham publicado posicionamento contrário apontando que os resultados do Pert seriam negativos - com um potencial de renúncia de R$ 35 bilhões.

A entidade diz que a situação piorou depois que o texto recebeu emendas com ainda mais benefícios aos devedores. Por exemplo, descontos maiores para juros e multas.

Além disso, os auditores questionam o tratamento dado por Temer e Meirelles em relação ao outro Refis, o Programa de Regularização Tributária Rural (PRR). Criado em janeiro de 2018, ele regulariza a contribuição para a Seguridade Social devida por empregadores rurais. Entre os benefícios, está o perdão de 100% das multas de mora.

Segundo a Receita Federal, o PRR tem uma renúncia de receitas estimada em aproximadamente R$ 15 bilhões. As estimativas não foram incluídas na Lei Orçamentária de 2018. Apesar de o ex-presidente ter optado pelo veto, eles foram integralmente derrubados pelo Congresso. "O que deve ser investigado é que tanto Temer quanto Meirelles, diante da derrubada dos vetos, omitiram-se quanto às providências que seus cargos exigiam quanto ao regime fiscal e à Lei de Responsabilidade Fiscal", afirma a entidade.

Parcelamentos especiais

A entidade tem atuado contra os parcelamentos especiais. Em 2018, a Unafisco enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) questionamentos apontando três inconstitucionalidades no PERT e no PRR: violação da capacidade contributiva, violação da livre concorrência e ofensa ao novo regime fiscal.

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, afirmou, na manhã desta quarta-feira (6), que o programa de regularização de dívidas no setor rural foi criado pelo Congresso em discordância com a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) porque gerava despesas sem apontar receitas equivalentes. Por isso, disse, o governo descumpriria uma lei se cumprisse a outra. O governo mandou, segundo ele, uma medida provisória para reduzir o impacto da medida. Mas, segundo Mansueto, o ano de 2018 terminou sem o programa ter sido executado.

Outro lado

O atual secretário da Fazenda de São Paulo, Henrique Meirelles, foi procurado por meio de sua assessoria de imprensa para comentar o assunto. A nota enviada em resposta afirma que o Programa Especial de Regularização Tributária "viabilizou o recebimento de dívidas em atraso que geraram uma receita adicional importante para o Tesouro Nacional". "O projeto foi aprovado pelo Congresso Nacional. Portanto, não é um gesto individual e sim uma lei aprovada pela Câmara dos Deputados e o Senado Federal", afirma o texto. O entendimento é que não há base para acusações e que a medida seguiu o estabelecido pela LRF.

O Ministério da Economia também foi procurado, mas preferiu não comentar. Já o ex-presidente Temer não foi encontrado.

 

A notícia acima repercutiu também nos seguintes veículos:

Correio Braziliense

ConJur

 

Leia também:

'De 2000 para cá foram 39 Refis, com perdas de R$ 50 bilhões na arrecadação', diz diretor Mauro Silva

Manter o elemento P

Ver todas as notícias


ASSOCIE-SE À UNAFISCO NACIONAL
[X]

Valor da mensalidade da Unafisco
Para ativos e aposentados: R$ 95,56.
Para pensionistas: R$ 71,67.

Por gentileza, antes de continuar, responda à questão abaixo:

ALGUM ASSOCIADO O INDICOU PARA SE FILIAR À UNAFISCO?


SIM

NÃO

ASSOCIE-SE À UNAFISCO NACIONAL
[X]