Unafisco - Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil
São Paulo, 25 de maio de 2019 Hora Certa 08h08

ÁREA RESTRITAÁREA RESTRITA

esqueci minha senha

Notícias Principais

Tamanho da Fonte    -A   A   +A
  • Compartilhe

  • Imprimir

09/05/2019 15:10:00

MP 870: 'O que se tem é um impedimento de trabalhar em força-tarefa', diz Mauro Silva



Título: Restrições às investigações da Receita Federal
Publicação: Correio Braziliense
Autor: Bernardo Bittar e Bia Roscoe
Data: 10/5/2019

 

Por 15 votos a nove, a Comissão Mista do Congresso que analisa a MP 870, da reforma ministerial, manteve o texto que impede auditores fiscais da Receita Federal de investigarem crimes que não sejam tributários, ou seja, eles não podem compartilhar com autoridades informações sobre indício de crimes. A iniciativa gerou protestos de parlamentares. Os críticos à decisão alegaram que a iniciativa é um "jabuti" (tema estranho ao conteúdo da medida provisória) e um retrocesso no combate à corrupção.

Indagado pelo senador Major Olimpio (PSL-SP), o relator Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) deixou claro que se trata de um posicionamento dele, e não do governo. Segundo o parlamentar, a intenção é delimitar competência. "Essa medida provisória trata da organização básica dos ministérios e dos órgãos federais, o que pressupõe definir não só nomes, mas competências." Bezerra argumentou que a Receita apura ilícitos fiscais, e qualquer investigação adicional deve ser feita pelo Ministério Público e pela Polícia Federal.

Para Kleber Cabral, presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindifisco), o texto é o mais grave ataque à Receita Federal e ao sistema de combate de ilícitos financeiros. "O que percebemos é que os poderosos afetados pelas operações de combate à corrupção e pela atuação da Receita, da Polícia e do Ministério Público identificaram que a Receita é um componente importante desse coletivo de órgãos e tem poder de investigação", afirmou.

Mauro Silva, diretor de Estudos Técnicos de Defesa Profissional da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Unafisco), também criticou a decisão. "O que se tem é um impedimento de trabalhar em força-tarefa. Atrapalha o trabalho do auditor e restringe o combate a crimes tributários", destacou. Com isso, o auditor não pode atuar em conjunto com o Ministério Público, com a polícia, conforme ressaltou. "A questão é que, muitas vezes, atrás de crimes tributários há delitos tipificados pelo Código Penal." 

Manter o elemento P

Ver todas as notícias


ASSOCIE-SE À UNAFISCO NACIONAL
[X]

Valor da mensalidade da Unafisco
Para ativos e aposentados: R$ 95,56.
Para pensionistas: R$ 71,67.

Por gentileza, antes de continuar, responda à questão abaixo:

ALGUM ASSOCIADO O INDICOU PARA SE FILIAR À UNAFISCO?


SIM

NÃO

ASSOCIE-SE À UNAFISCO NACIONAL
[X]