No último dia 3/6, a comentarista Bruna Torlay retratou-se da difamação proferida contra os Auditores Fiscais da Receita Federal. Ela havia sido notificada judicialmente a prestar esclarecimentos em decorrência da medida judicial protocolada pela Unafisco Nacional e a DEN do Sindifisco Nacional (Gestão 2019-2021).

Os ataques contra a honra da Classe foram propalados em 22/12/2021 pela comentarista, durante o programa Três em Um, da Jovem Pan News. Na ocasião, Bruna Torlay, ao opinar sobre a paralisação dos Auditores Fiscais da Receita, disse “(…) muitos agentes da Receita, quando alguém cai na malha fina, ficam esperando a pessoa trazer um presente para eles fingirem que não viram aquela sonegação. É assim que funciona a Receita Federal (…).”

O advogado de Torlay, dr. Fernando Vaisman, afirma que sua cliente retrata-se dos comentários feitos em desfavor dos Auditores Fiscais. “Talvez a Requerida tenha sido infeliz nas colocações que possam levar a uma ideia de generalização da conduta e se assim o fez, RETRATA-SE desde já de qualquer ilação nesse sentido. Esclarece, portanto, que nunca houve esse intuito, eis que, como dito, a Requerida entende que não há como se falar em corrupção sistêmica, ou qualquer coisa do gênero, em especial diante dos eficientes mecanismos de controle hoje existentes.”

Noutro trecho, o advogado afirma que Bruna Torlay jamais teve a intenção de generalizar as acusações desferidas. “Em momento algum, a Requerida pretendeu generalizar insinuando que tal prática seja comum ou que alcance um grande contingente de agentes fazendários. A Requerida deixa claro que entende que a imensa maioria dos agentes fazendários agem (sic) de acordo com a lei, pautados na retidão de suas condutas, mesmo que, por óbvio, assim como ocorre em todos os setores da sociedade, há casos isolados de excessos e desvios, que, como as próprias matérias analisadas mostram, são combatidos pelos órgãos competentes.”

De acordo com o presidente da Unafisco Nacional, Auditor Fiscal Mauro Silva, o caso da comentarista é emblemático para entender que “o trabalho profissional é uma coisa, e o ataque à honra de categorias do serviço público é algo completamente diferente.” Ao extrapolar os limites profissionais, fazendo declarações ofensivas e irresponsáveis, deve-se esperar uma resposta à altura, como a que tem sido dada.

Defesa da Classe. Em 29/12, a Unafisco Nacional e o sindicato (Gestão 2019 – 2021) protocolaram medida judicial contra acusação difamatória feita pela comentarista. A ação foi patrocinada pelo criminalista dr. Odel Antun.

A medida contra as ofensas da comentarista foi acatada em janeiro, pela magistrada da 27ª Vara Criminal do Foro Central Criminal Barra Funda, São Paulo/SP. Nos autos do pedido de explicações, o Ministério Público do Estado de São Paulo registrou parecer destacando haver indícios de crime contra a honra e posicionou-se no sentido de que Bruna Torlay fosse notificada a prestar esclarecimentos.

Mau exemplo. Jamais deveriam existir aspectos tacanhos entre nós, Auditores Fiscais, até pela natureza de nossa função. Antes de qualquer posicionamento político, somos Auditores Fiscais da Receita e isso deveria transcender eventuais opiniões e diferenças pontuais a respeito de um ou outro assunto. Mas a atual gestão da DEN do Sindifisco Nacional parece desconhecer tais preceitos. Ela, volta e meia, move-se nas sombras, nada lembrando as convocações que fez e faz em prol da união. Sorrateiramente, o sindicato apaga nomes do mapa. O sindicato tenta apagar a participação da Unafisco Nacional nesta medida judicial contra a comentarista. Na verdade, ao contrário do que a DEN oculta, as duas entidades ingressaram na justiça no caso em tela. Agora, dê uma busca nas notícias do sindicato. O sindicato conta que fez tudo sozinho. Desde quando a megalomania colhe resultados para o futuro? Desde quando apagar a participação dos outros é um modo aceitável de o sindicato representar uma Classe? Tal atitude revela um comportamento indigno e antiético, e promove desarmonia onde não deveria existir.

Demissão. Em 7/2, Bruna Torlay disse, por meio de seu perfil no Instagram, que havia sido demitida da Jovem Pan News.

Outras ações em defesa da honra. A Unafisco tem atuado juridicamente em todos os casos em que a Classe dos Auditores Fiscais é ofendida, desrespeitada e difamada.  Veja aqui outras ações adotadas pela Unafisco em casos semelhantes ao de Bruna Torlay.