A Unafisco Nacional participou do Ato Público realizado na terça-feira, 16/8, na Alfândega do Porto de Santos/SP. O Ato foi pela mobilização da Classe, que reivindica regulamentação da Lei 13.464/17, que trata do Bônus de Eficiência, recomposição do orçamento e dos quadros da Receita Federal. Pela entidade, participaram os Auditores Fiscais Mauro Silva (presidente), Pedro Delarue (secretário-geral), Marco Aurélio Baumgarten de Azevedo (2° vice-presidente), os diretores Virgilio Fordelone (Comunicação Social), Ivone Marques Monte (Administração), Agnaldo Neri (adjunto de Finanças e Contabilidade) e os conselheiros de gestão Jesus Luiz Brandão e Roberto Machado Bueno. O Auditor Fiscal Kleber Cabral, vice-presidente licenciado da Unafisco, também esteve presente.

Além de Auditores Fiscais, o Ato contou com a presença dos deputados federais Carlos Zarattini (PT/SP), Coronel Tadeu (PL/SP), Roberto de Lucena (Republicanos/SP) e Luis Miranda (Republicanos/DF).

O Ato foi o primeiro após a realização da Assembleia Nacional, realizada pelo sindicato na semana passada. Na ocasião, decidiu-se manter a mobilização em ritmo alterado. Ao fazer uso da palavra, Mauro Silva disse que a alteração do ritmo é propícia para os Auditores Fiscais recuperarem suas energias. “Muitas vezes é necessário ganhar fôlego, curar as feridas e repensar as estratégias.” Ele destacou que a prioridade agora é a luta pela inclusão do valor para regulamentação do Bônus de Eficiência no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2023. O documento será enviado pelo governo federal ao Congresso no dia 31 de agosto.

Na sequência, o presidente da Unafisco falou sobre a expectativa pela renovação do Congresso Nacional.  “A atual composição do parlamento foi muito adversa em relação ao serviço público, especialmente aos Auditores Fiscais e à Receita Federal, bem como ao interesse público.” Apesar da conjuntura desfavorável até agora, ele ressaltou que o cenário pode mudar nos próximos meses com o resultado das eleições. “É hora de avaliações e, principalmente, definições políticas para fazermos boas escolhas em relação ao parlamento.”

Mauro Silva falou ainda sobre o otimismo que a Classe deve manter nesse momento. “Nosso trabalho é muito importante em qualquer governo e em qualquer país do mundo. Assim que for definida a nova composição do Congresso e do Poder Executivo, redefiniremos nosso caminho de luta. Vamos precisar de muita energia com o novo cenário político. Nossos objetivos de valorizar o cargo e a Receita continuam ainda mais fortalecidos.”

O diretor Virgilio Fordelone destacou a perseverança da Classe na luta pelas justas reivindicações. “A categoria decidiu seguir mobilizada.  E uma forma de simbolizar essa decisão é realizar esse Ato Público aqui em Santos. E outros virão no futuro.”