Da esq. para a dir.: Luís Inácio Adams, ex-Advogado Geral da União (AGU); Robinson Barreirinhas, secretário especial da Receita Federal do Brasil; Auditora Fiscal Adriana Gomes Rêgo, secretária especial-adjunta da Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil; Heleno Taveira Torres, professor titular de Direto Financeiro do Departamento de Direito Econômico, Financeiro e Tributário da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP); Auditor Fiscal Kleber Cabral, 1º vice-presidente da Unafisco Nacional; e Auditor Fiscal Mauro Silva, presidente da Unafisco Nacional

A Unafisco Nacional, representada pelos Auditores Fiscais Mauro Silva (presidente) e Kleber Cabral (1º vice-presidente), esteve presente na cerimônia de posse do ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Na solenidade, realizada no dia 2/1, em Brasília/DF, foram apresentados os secretários dos órgãos que compõem o ministério, entre eles o secretário especial da Receita Federal do Brasil (RFB), Robinson Barreirinhas.

Na oportunidade, os representantes da Unafisco cumprimentaram o secretário e a secretária-adjunta da RFB, Auditora Fiscal Adriana Gomes Rêgo, pelas respectivas nomeações e ressaltaram a necessidade urgente de regulamentação do Bônus de Eficiência, que se arrasta desde 2016. “Na conversa que tivemos com o secretário Barreirinhas, confirmamos que ele está atualizado sobre o senso de urgência que é a resolução do Bônus. Não é aceitável uma disparidade remuneratória entre Auditores Fiscais e procuradores da Fazenda. Sobre outras questões que interessam aos Auditores Ficais, trataremos em reunião a ser marcada com o secretário”, disse o presidente Mauro Silva.

Durante a solenidade, Mauro Silva e Kleber Cabral também trocaram palavras com o ministro Haddad, com o secretário-executivo da pasta, Gabriel Galípolo, e com secretário para Reforma Tributária, Bernard Appy.

Robinson Barreirinhas, secretário especial da Receita Federal do Brasil, com o Auditor Fiscal Mauro Silva, presidente da Unafisco Nacional

No discurso de posse, o ministro Haddad mencionou algumas prioridades de sua gestão à frente da pasta. “Assumo com todos vocês o compromisso de enviar, ainda no primeiro semestre, ao Congresso Nacional, a proposta de uma Nova Âncora Fiscal, que organize as contas públicas, que seja confiável, e, principalmente, respeitada e cumprida (…). Buscaremos também um sistema tributário mais transparente, sobretudo mais justo e mais simples. E, por isso mesmo, mais eficiente, evitando a cumulatividade e retirando o peso tributário das famílias de baixa renda. Isso vai permitir, ainda, que o Brasil se aproxime dos padrões das grandes economias mundiais.”

Da esq. para a dir.: Auditor Fiscal Mauro Silva, presidente da Unafisco Nacional; Gabriel Galípolo, secretário-executivo do Ministério da Fazenda; e Auditor Fiscal Kleber Cabral, 1º vice-presidente da Unafisco Nacional

Haddad também fez críticas à gestão passada do supracitado Ministério. “Distribuíram benesses e desonerações fiscais para empresas, desobedecendo qualquer critério que não fosse ganhar a eleição a todo custo. E o custo é esse, senhoras e senhores: 3% do PIB gastos em aumento irresponsável de dispêndios e em renúncia fiscal. Estamos falando, portanto, de um rombo de cerca de 300 bilhões de reais, provocado pela insanidade.”

Para o presidente da Unafisco, Mauro Silva, o discurso de Haddad mostrou as diferenças de visão que o ministro tem, em diversos aspectos, em comparação com a do governo anterior. Clique aqui para ler o discurso do ministro, na íntegra.

A cerimônia de posse do ministro da Fazenda foi prestigiada por vários atores políticos, ministros do novo governo, parlamentares, pela imprensa e por membros da academia, como o professor Heleno Torres, da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FDUSP), e o reitor da USP, Carlos Gilberto Carlotti Junior.